Risco de extinção

 

Jacarandá-da-Bahia

BIOMA - Mata Atlântica

CLASSIFICAÇÃO - Vulnerável

NOMES COMUNS - Caviúna, graúna, jacarandá-cabiúna, pau-preto.

CARACTERÍSTICAS - Era encontrada nos Estados de Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo, mas, atualmente, só é encontrada no sul da Bahia. Uma das mais valorizadas madeiras brasileiras, é explorada desde a fase colonial. Com altura entre 15 e 25 metros e tronco de 40 a 80 centímetros de diâmetro, tem madeira de cor escura e resistente. Floresce entre setembro e novembro, e os frutos amadurecem em agosto-setembro. É comumente utilizada em obras de marcenaria, construção de instrumentos de corda e na fabricação de pianos.

 

 

Risco de extinção

 

Jacarandá-da-Bahia

BIOMA - Mata Atlântica

CLASSIFICAÇÃO - Vulnerável

NOMES COMUNS - Caviúna, graúna, jacarandá-cabiúna, pau-preto.

CARACTERÍSTICAS - Era encontrada nos Estados de Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo, mas, atualmente, só é encontrada no sul da Bahia. Uma das mais valorizadas madeiras brasileiras, é explorada desde a fase colonial. Com altura entre 15 e 25 metros e tronco de 40 a 80 centímetros de diâmetro, tem madeira de cor escura e resistente. Floresce entre setembro e novembro, e os frutos amadurecem em agosto-setembro. É comumente utilizada em obras de marcenaria, construção de instrumentos de corda e na fabricação de pianos.

 

 

Risco de extinção

Regulamento

Envio de texto

Escolas participantes

Incrição

Contato

Links e vídeos

 

Jacarandá-da-Bahia

BIOMA - Mata Atlântica

CLASSIFICAÇÃO - Vulnerável

NOMES COMUNS - Caviúna, graúna, jacarandá-cabiúna, pau-preto.

CARACTERÍSTICAS - Era encontrada nos Estados de Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo, mas, atualmente, só é encontrada no sul da Bahia. Uma das mais valorizadas madeiras brasileiras, é explorada desde a fase colonial. Com altura entre 15 e 25 metros e tronco de 40 a 80 centímetros de diâmetro, tem madeira de cor escura e resistente. Floresce entre setembro e novembro, e os frutos amadurecem em agosto-setembro. É comumente utilizada em obras de marcenaria, construção de instrumentos de corda e na fabricação de pianos.

 

 

Risco de extinção

 

Jacarandá-da-Bahia

BIOMA - Mata Atlântica

CLASSIFICAÇÃO - Vulnerável

NOMES COMUNS - Caviúna, graúna, jacarandá-cabiúna, pau-preto.

CARACTERÍSTICAS - Era encontrada nos Estados de Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo, mas, atualmente, só é encontrada no sul da Bahia. Uma das mais valorizadas madeiras brasileiras, é explorada desde a fase colonial. Com altura entre 15 e 25 metros e tronco de 40 a 80 centímetros de diâmetro, tem madeira de cor escura e resistente. Floresce entre setembro e novembro, e os frutos amadurecem em agosto-setembro. É comumente utilizada em obras de marcenaria, construção de instrumentos de corda e na fabricação de pianos.

 

 

Risco de extinção

 

Jacarandá-da-Bahia

BIOMA - Mata Atlântica

CLASSIFICAÇÃO - Vulnerável

NOMES COMUNS - Caviúna, graúna, jacarandá-cabiúna, pau-preto.

CARACTERÍSTICAS - Era encontrada nos Estados de Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo, mas, atualmente, só é encontrada no sul da Bahia. Uma das mais valorizadas madeiras brasileiras, é explorada desde a fase colonial. Com altura entre 15 e 25 metros e tronco de 40 a 80 centímetros de diâmetro, tem madeira de cor escura e resistente. Floresce entre setembro e novembro, e os frutos amadurecem em agosto-setembro. É comumente utilizada em obras de marcenaria, construção de instrumentos de corda e na fabricação de pianos.

 

 

Risco de extinção

 

Jacarandá-da-Bahia

BIOMA - Mata Atlântica

CLASSIFICAÇÃO - Vulnerável

NOMES COMUNS - Caviúna, graúna, jacarandá-cabiúna, pau-preto.

CARACTERÍSTICAS - Era encontrada nos Estados de Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo, mas, atualmente, só é encontrada no sul da Bahia. Uma das mais valorizadas madeiras brasileiras, é explorada desde a fase colonial. Com altura entre 15 e 25 metros e tronco de 40 a 80 centímetros de diâmetro, tem madeira de cor escura e resistente. Floresce entre setembro e novembro, e os frutos amadurecem em agosto-setembro. É comumente utilizada em obras de marcenaria, construção de instrumentos de corda e na fabricação de pianos.

 

 

Risco de extinção

 

Jacarandá-da-Bahia

BIOMA - Mata Atlântica

CLASSIFICAÇÃO - Vulnerável

NOMES COMUNS - Caviúna, graúna, jacarandá-cabiúna, pau-preto.

CARACTERÍSTICAS - Era encontrada nos Estados de Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo, mas, atualmente, só é encontrada no sul da Bahia. Uma das mais valorizadas madeiras brasileiras, é explorada desde a fase colonial. Com altura entre 15 e 25 metros e tronco de 40 a 80 centímetros de diâmetro, tem madeira de cor escura e resistente. Floresce entre setembro e novembro, e os frutos amadurecem em agosto-setembro. É comumente utilizada em obras de marcenaria, construção de instrumentos de corda e na fabricação de pianos.

 

 

Risco de extinção

 

Jacarandá-da-Bahia

BIOMA - Mata Atlântica

CLASSIFICAÇÃO - Vulnerável

NOMES COMUNS - Caviúna, graúna, jacarandá-cabiúna, pau-preto.

CARACTERÍSTICAS - Era encontrada nos Estados de Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo, mas, atualmente, só é encontrada no sul da Bahia. Uma das mais valorizadas madeiras brasileiras, é explorada desde a fase colonial. Com altura entre 15 e 25 metros e tronco de 40 a 80 centímetros de diâmetro, tem madeira de cor escura e resistente. Floresce entre setembro e novembro, e os frutos amadurecem em agosto-setembro. É comumente utilizada em obras de marcenaria, construção de instrumentos de corda e na fabricação de pianos.

 

 

Risco de extinção

 

Jacarandá-da-Bahia

BIOMA - Mata Atlântica

CLASSIFICAÇÃO - Vulnerável

NOMES COMUNS - Caviúna, graúna, jacarandá-cabiúna, pau-preto.

CARACTERÍSTICAS - Era encontrada nos Estados de Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo, mas, atualmente, só é encontrada no sul da Bahia. Uma das mais valorizadas madeiras brasileiras, é explorada desde a fase colonial. Com altura entre 15 e 25 metros e tronco de 40 a 80 centímetros de diâmetro, tem madeira de cor escura e resistente. Floresce entre setembro e novembro, e os frutos amadurecem em agosto-setembro. É comumente utilizada em obras de marcenaria, construção de instrumentos de corda e na fabricação de pianos.

 

 

Risco de extinção

 

Jacarandá-da-Bahia

BIOMA - Mata Atlântica

CLASSIFICAÇÃO - Vulnerável

NOMES COMUNS - Caviúna, graúna, jacarandá-cabiúna, pau-preto.

CARACTERÍSTICAS - Era encontrada nos Estados de Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo, mas, atualmente, só é encontrada no sul da Bahia. Uma das mais valorizadas madeiras brasileiras, é explorada desde a fase colonial. Com altura entre 15 e 25 metros e tronco de 40 a 80 centímetros de diâmetro, tem madeira de cor escura e resistente. Floresce entre setembro e novembro, e os frutos amadurecem em agosto-setembro. É comumente utilizada em obras de marcenaria, construção de instrumentos de corda e na fabricação de pianos.

 

 

Risco de extinção

 

Jacarandá-da-Bahia

BIOMA - Mata Atlântica

CLASSIFICAÇÃO - Vulnerável

NOMES COMUNS - Caviúna, graúna, jacarandá-cabiúna, pau-preto.

CARACTERÍSTICAS - Era encontrada nos Estados de Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo, mas, atualmente, só é encontrada no sul da Bahia. Uma das mais valorizadas madeiras brasileiras, é explorada desde a fase colonial. Com altura entre 15 e 25 metros e tronco de 40 a 80 centímetros de diâmetro, tem madeira de cor escura e resistente. Floresce entre setembro e novembro, e os frutos amadurecem em agosto-setembro. É comumente utilizada em obras de marcenaria, construção de instrumentos de corda e na fabricação de pianos.